DRU (1997)

Espetáculo de dança com mediação tecnológica baseado na obra de Marcel Duchamp.

Co-criação com Raquel Zuanon.

Artetecnologia, Instituto Cultural Itaú, sala azul, 23 a 26/10/1997

7a. COMPOS, TUSP, 2 de Junho de 1998.

O espetáculo DRU, concebido pelas pesquisadoras Ivani Santana e Rachel Zuanon, interessadas na interação dança contemporânea e meios tecnológicos, apresenta uma outra forma de inserir a tecnologia na dança, buscando transpor os possíveis arquétipos e estereótipos incorrentes no uso superficial dessa interação.

A concepção do espetáculo DRU partiu do pensamento e da obra de Marcel Duchamp. DRU dialoga com os universos da dança contemporânea (corpo, gesto, plástica) e com vários meios tecnológicos (computador, sensores, microcâmeras, vídeo, fotografia, projetores, música eletrônica e iluminação), em uma relação de possível independência. DRU estabeleceu-se na nova ordem triádica, artista-arte-público, onde mais que referenciar a obra de Duchamp, o objetivo está em apropriar-se desta lógica de pensamento. Brincar com a desconstrução das funções cotidianas dos objetos/corpos, atribuindo-lhes o ato estético.

Limites, acaso, probabilidade, singularidade e diversidade são alguns dos elementos trabalhados nesta interação dança/tecnologia, em um princípio de autonomia que dialoga neste ambiente sistêmico.

Concepção, Coreografia e Interpretação: Ivani Santana e Rachel Zuanon

Direção: Sandra Meyer

Cenografia: Hilmar Diniz Paiva Filho

Figurino: Ivani Santana e Rachel Zuanon

Equipe Multimídia: SCIArts

Engenheiro Eletrônico: Luis Galhardo Filho

Plano de Luz: Simone Donatelli

Cenotécnica: Alexandre Geraldes

Fotografia: Fernando Fogliano e Francisco D’orto

Musica: Fernando Iazeta

Written by

No Comments Yet.

Leave a reply